sexta-feira, 18 de abril de 2008

MOMENTO DE INSPIRAÇÃO

VAGANTE

Guida Linhares


Vago pelo espaço sideral
em busca da minha essência.
Trago a esfera de luz,
retomada do mundo real.
Nele eu era tão solitário,
preso a mecanismos de defesa,
que me algemaram
por longos anos a fio,
a uma telinha de computador,
onde recolhia todas as sensações,
impressões, emoções e sentimentos
que desfilavam ante os olhos,
alimentando os sonhos e as ilusões.
A imaginação era o instrumento de percussão
e nele projetava imagens e sons,
tecia as tramas, era o palco,
o personagem principal, o coadjuvante,
o camarim e a platéia.
No final aplaudia a mim mesmo,
ou angustiado soltava as vaias
em desespero de causa.
Tristonho vagante virtual,
a minha pena sempre foi real.
Aconcheguei corações carentes
que também buscavam afetos e anelos
para aquecer o frio da alma.
Os desejos cada vez se avolumavam mais,
requerendo mais e mais faíscas
a serem lançadas no éter cibernético..
e sempre havia uma nova fêmea
pronta a recebê-la e acender
um fogaréu em seu céu interior.
A quantas amei, a quantas desejei.
Fui muito querido e também ansiado
por desejos reais, sem a sua materialização.
Assim, nenhuma me conheceu realmente,
nenhuma me acariciou, nenhuma me tocou.
Apenas as palavras, soltas pelo céu cibernético,
me fizeram imaginar tantas coisas.
Vagante espectro do meu Eu
Errante nas madrugadas e nas manhãs,
pelas bandas largas e estreitas,
como um meio de suporte
para vencer a
grande solidão das horas.
Meu corpo foi se deformando,
por falta de toques físicos,
por falta do abraço apertado,
do doce beijo molhado.
Meu mundo virtual, fascínio único!
Nele eu era amado,
cercado de carinhosas fêmeas,
que me traziam a desejada alegria,
o encantamento,
o prazer.
Fantasiado de Ser
Idolatrado
Acariciado
Desejado
Tantas vezes seduzido,
outras tantas
fui o charmoso conquistador.
O tempo foi passando veloz,
A solidão ganhando proporções enormes.
Um longo cansaço
tomou conta de todo o Ser.
Pela primeira vez, a telinha ficou às escuras.
Aberto o gabinete, arranquei seu coração!
Uma reluzente esfera, que
em minhas mãos ganhou mais brilho,
acendendo uma sutil esperança,
de viver num mundo mais real.
Assim, em busca da minha essência,
vago pelo espaço sideral.

Santos/SP/Brasil
17/04/08
&&&

Nenhum comentário: