sábado, 21 de junho de 2008

Gabriel, um pintor desabrochando


Guache sobre papel, onde ele trabalhou com várias cores, sózinho e depois me chamou para avaliar..é claro que mereceu um clique estratégico...ele vai longe!!!!

Reflexão poética




SERENIDADE
Guida Linhares


Há vezes em que a tristeza toma conta
e o meu coração chora baixinho,
por tantas mazelas de ponta a ponta,
deste mundo cada vez mais pequeninho.

Pequeno em amor desabrochado,
em mãos que não se estendem
para o abraço da paz afortunado,
que só corações fraternos compreendem.

Mas sei que a tristeza faz muito mal,
que é preciso desenterrar a esperança,
e fazer dela um largo e forte portal,
que abrigue nosso coração criança.

E nestas horas rogo a Deus Pai,
que eu possa me sentir serena,
dentro da Fé que nunca me trai.
Sem esse elo, me sentiria pequena.

Santos/SP/Brasil
22/06/08

***

Participação na Ciranda Poética "Serenidade"
do site " A Era do Espírito, Por um Mundo Novo
e Melhor" , do nosso amigo poeta Elio Mollo.

http://aeradoespirito.sites.uol.com.br/

***

terça-feira, 17 de junho de 2008

MOMENTO ROMÂNTICO


O cravo e a margarida
Guida Linhares

Um pouquinho de você fica em mim
quando mesmo distante, estamos perto,
assim como as flores de um mesmo jardim,
plantadas longe, tem seu encanto certo.

Se o cravo floresce em sua cor vermelha,
enfeitiça a margarida debruçada ao vento,
como no bem querer em tudo se assemelha,
quando se une emoção ao sutil pensamento.

E se o cravo pende em sua triste saudade,
a margarida tem também as suas tristezas,
mas quem sabe ambos sorrirão de felicidade,
ao se darem as mãos, contemplando a natureza.

Quando espalho os sonhos em versos poéticos,
espero apenas que sejam sementes de esperança,
que no teclado brinco em poemas métricos,
que fazem renascer de mim, a eterna criança.

Santos/SP/Brasil
17/06/08

segunda-feira, 16 de junho de 2008

A SOLIDÃO E O AFETO



Parecíamos distantes um do outro.
Contudo bastou apenas um olhar
mais profundo, para que um suave aroma
da rosa rubra dos corações,
nos aproximasse em doce sintonia.
Dizes que suguei a tua solidão,
com a beleza do afeto e pura magia.
Mas nem sabes meu querido,
quantas vezes me senti sózinha.
Enquanto as minhas palavras alentavam
as pessoas, meu eu interior sussurrava,
da minha solidão, da falta do toque viril,
do abraço e do beijo que não aconteciam.
Os dias passando, arrastados em ilusões
passageiras que surgem sem deixar rastro.
Efêmeras quimeras de um mundo virtual,
que se alimenta das carências diversas....
Mas o amor, ah! este enigmático sentimento
que aparece piscante numa sutil promessa,
nem sempre se desvela e às vezes se esconde,
em fugidias intenções que logo fenecem...
E assim vamos acinzentando as emoções.
O receio passa a tomar conta dos gestos,
e quando surgem olhos que nos veem diferentes,
lançamos a dúvida, a nossa incerteza se revela...
E só uma pessoa de alma nobre e destemida,
espera pacientemente que se recolha a rosa
e se leve à altura do peito, sentindo o doce perfume,
de momentos que prometem delírios e delícias.
Agora busco a tua presença, o teu alento,
parte do meu sonho mora em teu sentir..
Não te roubarei mais as noites insones,
porque estaremos juntos nos sonhos.
Não esqueças mais da tua razão nem de viver
Lerás nos meus olhos a ternura desprendida
ouvirás as doces e encantadoras palavras,
que só os corações apaixonados sabem dizer.
Sei como ninguém mais, o quanto valorizas
sentir o perfume da flor, da poesia, do diálogo.
A alegre felicidade sempre te rodeia, assim como
o sorriso da criança te encanta e mais ainda,
sentir o beijo da mulher tantas vezes sonhada.


Guida Linhares
Santos/SP/Brasil
16/06/08
***