quarta-feira, 28 de outubro de 2009


UM LINDO SORRISO
Guida Linhares

Um sorriso vale muito e encanta
os corações que o recebem...
Quando os olhos também sorriem,
então é bom demais de sentir...
O vibrar dos corações,
que batem em uníssono,
nos doces momentos,
em que as mãos se encontram
e os abraços acontecem.
Seja o tapinha nos ombros,
seja o toque no braço, ou ainda
um beijo em cada lado das bochechas,
toda manifestação de carinho,
sempre é bem-vinda,
tanto por aquele que oferece
como pelo que recebe.
Mas se além de amigo verdadeiro,
ele acelerar o teu coração,
então chegou a hora
de beijá-lo sem mais demora.
Um beijo daqueles molhados,
bem no fundo, bem gostoso,
daquele que antecipa
tudo o que vem depois...
Momentos de puro prazer,
vividos na doce emoção a dois.

terça-feira, 27 de outubro de 2009



TRÉGUA
Guida Linhares

Nesta rede vou me deitar
contemplando o por do sol.
Nossos momentos irei relembrar,
com todas as cores do arrebol.

Agradecer pelas horas infinitas,
em que ficamos bem juntinhos,
entre arroubos e vontades benditas,
trocando os desejos de mil carinhos.

Talvez nosso romance não prossiga,
até pode ser que a saudade não venha,
nesta trégua que ao mesmo tempo possibilita,
que enxerguemos algum amor que se tenha.

Do futuro nada sabemos. Melhor viver o presente
com todas as cores, luzes, sons e alegrias.
Deixar fluir as águas do tempo em sonora vertente,
que nos leve à celebrar a vida em todas as sintonias.



segunda-feira, 26 de outubro de 2009



SONHO.

NÃO SEI QUEM SOU NESTE MOMENTO.

Fernando Pessoa

Sonho. Não sei quem sou neste momento.
Durmo sentindo-me. Na hora calma
Meu pensamento esquece o pensamento,
Minha alma não tem alma.

Se existo é um erro eu o saber. Se acordo
Parece que erro. Sinto que não sei.
Nada quero nem tenho nem recordo.
Não tenho ser nem lei.

Lapso da consciência entre ilusões,
Fantasmas me limitam e me contêm.
Dorme insciente de alheios corações,
Coração de ninguém.

<>


FORÇA ESTRANHA
Composição e Interpretação
Roberto Carlos

Eu vi um menino correndo
eu vi o tempo brincando ao redor
do caminho daquele menino,
eu pus os meus pés no riacho.
E acho que nunca os tirei.
O sol ainda brilha na estrada que eu nunca passei.
Eu vi a mulher preparando outra pessoa
O tempo parou pra eu olhar para aquela barriga.
A vida é amiga da arte
É a parte que o sol me ensinou.
O sol que atravessa essa estrada que nunca passou.
Por isso uma força me leva a cantar,
por isso essa força estranha no ar.
Por isso é que eu canto, não posso parar.
Por isso essa voz tamanha.

Eu vi muitos cabelos brancos na fonte do artista
o tempo não pára no entanto ele nunca envelhece.
Aquele que conhece o jogo, o jogo das coisas que são.
É o sol, é o tempo, é a estrada, é o pé e é o chão.
Eu vi muitos homens brigando. Ouvi seus gritos
Estive no fundo de cada vontade encoberta,
e a coisa mais certa de todas as coisas.
Não vale um caminho sob o sol.
E o sol sobre a estrada, é o sol sobre a estrada, é o sol.
Por isso uma força me leva a cantar,
por isso essa força estranha no ar.
Por isso é que eu canto, não posso parar.
Por isso essa voz tamanha.