quinta-feira, 10 de abril de 2008




















NOSSO VASO
Guida Linhares

Era apenas um vaso
como tantos outros
que deitei o olhar num dia
em que a vida não me sorria

Não tinha um lugar certo
e nem siquer um dono
jogado ao canto esquecido
talvez por quem
não tenha dado o devido valor

Me aproximei dele
e o tomei nas mãos
estava muito maltratadinho
talvez abandonado pela sorte

Suas trincas e rachaduras
eram evidentes demais
mas guardava em seu
rico interior
uma terra ainda adubada

Peguei nele com carinho
quase como um abraço
e o ajeitei no cantinho
do meu coração abalado

E o levei pra minha casa
arejei bastante a terra
e plantei uma muda de rosa
vermelha e perfumosa

A plantinha cresceu
mas de seu caule
também vieram os espinhos
que fui arrancando um a um
à medida que brotavam


Talvez estivesse errando
em fazer tão vil ação
mas não queria que eles ferissem
também meu coração

E numa ensolarada manhã
um belo botão de rosa
despontou promissor
enchendo minha vida
de alegria e calor

E foi tanta espera
pela flor desabrochada
meu coração palpitava
ja quase desistindo,
pois que a rosa não se abria
nem ao raiar do dia

Percebo que ainda tarda a surgir
em todo o seu esplendor
mas para quem não tinha nada
e achou um vaso

apenas de terra adubada
agora tem também
a espera da flor,
numa promessa de amor

Santos, SP/Brasil

28/06/2006


Envio da poesia formatada >
guidalinhares@gmail.com

quarta-feira, 9 de abril de 2008

Série: Amigos do Coração















AMIGO VERDADEIRO

Guida Linhares


É aquele que nos conhece melhor
do que nós mesmos,
ainda que o espelho
mostre a verdadeira face,
quando cegos não nos enxergamos.

É aquele que nos diz a verdade,
ainda que doa dentro de nós,
porque muitas vezes não queremos
ver aquilo que está latente
e presente à nossa frente.

Amigo é aquele que chora junto
com a gente,
que empresta a borda da camisa para enxugarmos o nariz,
que abre o guarda-chuva
nas tempestades
e nos abriga com fé e ternura.

Amigo é aquele que nos mostra saídas,
que consegue captar do problema,
algo que nos escapou,
que sabe nos dizer onde acertamos
e porque erramos,
sugere caminhos e
fica torcendo por nós.

Amigo ainda é aquele
que faz palhaçada
só pra ver aflorar um sorriso,
quando estamos caídos demais.
Então a mágica se faz e
brota o riso e até mesmo
o gargalhar entre lágrimas.

E o amigo sincero chora junto,
abre seus braços enormes e nos afaga,
manda calorosos beijos,
como a dizer:
- veja.. voce não está só,
eu estou aqui..
ainda que longe fisicamente,
mas muito perto do teu coração.

E assim vamos sopesando a vida,
que se torna leve e suportável,
quando a nossa carroça da amizade
está repleta de amigos;
que se consideram apenas pessoas
sujeitas a acertos e erros
e têm a certeza de que serão acolhidos,
em qualquer momento da caminhada,
nas quatro estações do ano,
nas vinte e quatro horas do dia,
no instável cotidiano,
na saúde e na doença,
na tristeza e na alegria,
pois Deus atua
através do amigo sincero e leal,
unindo a todos
numa imensa ciranda de amorosidade.

Santos, SP
2006


http://www.guidalinhares.net

envio de poesias >
guidalinhares@gmail.com




domingo, 6 de abril de 2008

Série: Amigos do Coração














OBSERVADOR DE ALMAS

Guida Linhares

Para você que sabe como ninguém,
observar a suavidade das almas femininas
Aqui em rabiscos, faço meu poema refém
do sensível brilho das pérolas pequeninas.

Para você que ama a música e a cultiva;
que conhece os seus meandros e caprichos.
Que conduz os sons pela batuta sensitiva,
fazendo com que ressoem no éter como coriscos

nas suaves melodias carregadas de emoção.
Ao sabor das claves, figuras e andamentos,
transcendendo a mais sublime vibração,
a atmosfera exala os mais nobres sentimentos.

No mesmo patamar observas todas as almas.
Que gravitam lépidas ou serenas no teu entorno.
A todas elas concedes teu carinho e palmas.
Na graça da palavra revelas o teu contorno.

Assim quando dizes que uma alma é bela,
há que se ter nisso todo um crédito.
Tens os olhos puros de sentinela,
a suavizar as agruras do ser em débito.

Louvado sejas, neste teu sentir fraterno.
Que a todos acolhe com uma doce palavra.
Que sejas o amigo sempre terno e eterno,
a nos encantar com os versos da tua lavra.

Que mesmo entre espinhos e amarguras,
conserves o teu coração sempre carinhoso.
Que sejas sempre um farol de ternuras
a nos afagar em cada momento venturoso.

Santos/SP - 20/02/08


http://www.guidalinhares.net

Envio poesias formatadas >
guidalinhares@gmail.com