sábado, 3 de maio de 2008

MOMENTO DE SAUDADES



Minhas saudades do querido amigomano Marquinhos,
que cedo foi para os braços de Deus e nos deixou muitas gratas recordações...deste momento especial, junto com a sua mama Eire, a minha querida madrinha poética. Hoje conversando com ela, me contou sobre o sonho real e a poesia que ela fez e aqui vai para compartilhar com todos os amigos.
Dizer que vale a pena curtir todos os bons momentos que a vida oferece, porque nunca se sabe quando será nosso último dia neste tempo e espaço.
Um final de semana alegre, e não esqueçam de dizer às pessoas que voces gostam, o quanto elas são importantes...deem um abraço e digam
EU TE AMO
sem economizar ternura e carinho.
Beijos de saudades, Guida


SONHO DIVINO


Rosa Magaly Guimarãaes Lucas- Eire


O sonho de ontem me fez ver a vida

De forma diferente do que a via;

Iluminada e cheia de alegria,

Com perfume de flores, colorida...

Senti-me qual se fôra a preferida


Dentre tantas mãezinhas, pois ouvia,

Pela voz de meu filho a melodia

Que ele cantava a minh’alma ferida...

Era a Canção de Villia, suave e linda,


E nós dançamos ao som de um violino,

Ambos envoltos em ternura infinda!

Que lindo sonho esse com meu Bambino!


Queria sonhar mais e mais, ainda,

Mas acordei!

Ah, que sonho divino!


Jacaraípe, Serra, Espírito Santo, 02/05/2008


Midi: Andé Rieu - Amazin Grace

MELANCOLIA POÉTICA

Tristeza de Flor
Guida Linhares


Um dia surgiste do acaso
trazendo a luz aos meus dias
Nas páginas do teu livro,
li estrofes com versos de pura magia

Fez-se a luz ao raiar do dia
em que juntos partilhávamos
momentos de extrema alegria
como bons amigos estávamos

As flores que me ofertaste
ainda no vaso se encontram
São as perfumadas rosas
que de teu coração brotaram

As florezinhas brancas
eu as trouxe de um jardim
que era cheio de lembranças
de tantos sonhos de mim

Acendemos juntos as velas
de um sonho a ser imaginado
que poderíamos estar
sempre lado a lado

Sopesando as agruras da vida
vivemos ilusões distantes
de que sempre haveria guarida
em nossos seres navegantes

Mas eis que no escuro minuto
da letra de uma música se fez
um desastrado entendimento
trazendo a separação de vez

Choram meus olhos de tristeza
os teus não os vejo, mas a mágoa
que dissestes estar possuído,
me fez despencar da beleza

que me acompanhava toda prosa
pelo nosso encontro casual
Tão feliz eu estava de te ver
e de repente a derrapada fatal

Os sonhos tão loucos que tivemos,
a esperança de nos conhecermos,
a vontade de estar lado a lado,
e juntos o amor entretecermos

Neste exato momento tudo terminado
não há mais a música aos ouvidos
nem as palavras tão doces,
nem o fascinar dos sentidos

Nada mais importa agora
já que tudo foi ventura um dia
Que sejas feliz em tuas buscas
Me deixes só com a minha agonia.

Santos/SP
18/02/08


http://www.guidalinhares.net

quarta-feira, 30 de abril de 2008

Reflexão e Poesia


AMOROSA ESPERA
Guida Linhares


Passam nuvens lá no horizonte distante.
São como os sonhos que permeiam a vida.
Vão passeando, um aqui, outro lá adiante,
esperando o fluir da ilusão, a mais sentida.

Quimeras que o tempo leva ao futuro,
transportando o Amor nas asas do vento,
num sentir não mais em cima do muro,
mas ocupando sobremaneira o pensamento.

A amorosa espera por fim se auto-revela
Desafia-se o sutil desejo em trajes sensuais,
deitando-se em lençóis de seda, olhando pela janela,
a cidade lá fora, movimentada por criaturas reais.

Toda a expectativa em torno de você, monta a cena
Deves chegar a qualquer momento, com carinho desmedido,
acariciando o meu coração com toda a ternura plena,
fazendo com que ele se aqueça em seu mais amplo sentido.

És alguém virtual, que chegou confiante para arrebatar
de uma única vez, todos os meus melhores sonhares.
Penetraste em cada um deles, com teu jeito de cativar,
surpreendendo e acarinhando em todos os patamares.

Âncora afundada para o amor virtual, como ré confesso,
que mal pude respirar, tão logo surgiste na linha do horizonte,
com teu jeito amoroso, tua bagagem de ilusões, teu sonhar expresso.
Já me pego sorrindo à toa, e sei de coração, provém da tua fonte.

Mas a vida sempre foi e será uma grande viagem no tempo e espaço,
E nós, seus esperançosos navegantes a buscar a dourada felicidade.
Mas somente quando a temos dentro de nosso sentir, num forte laço,
abrem-se todas as portas da emoção, desvelando-se a amorosidade.

Assim, nesta amorosa espera, o instante se revela encantador.
Momento este que poderá ou não repetir-se. Quem há de saber
se o Amor se esconde entre o farfalhar das folhas? Talvez um mercador
das entrelinhas do destino. O que será, será! Importa apenas o bem querer!

Santos/SP/Brasil
30/04/08



As flores são uma das provas da existência de Deus, o Supremo Criador,
que ao pensar em Beleza, as criou para o deleite dos olhos humanos com seus coloridos e leves perfumes. Contemplar uma flor, em seus mínimos detalhtes, representa uma troca de energia e o reabastecer das baterias cansadas do cotidiano.
Experimente essa doce sensação!

terça-feira, 29 de abril de 2008

REFLEXÃO


NO ALTO DA MONTANHA
Guida Linhares
Não passei a vida em brancas nuvens. Se eu morrer hoje, morro muito feliz.
Nos verdes anos da juventude acalentei alguns amores até a chegada do príncipe,
que se desencantou ao longo dos anos. Mas o que é eterno nesta vida?
Nada é eterno, nada é para sempre!Pessoas passam por nossa vida,
deixam o seu perfume, e levam um bocadinho do nosso, para que um dia
quando as saudades baterem forte, possam fechar os olhos e sentirem o nosso perfume, as palavras trocadas, o amor compartilhado.
Aquele que ama sempre é bendito, sempre se enriquece, ainda que o amor não seja correspondido, ou seja apenas uma farsa, uma fantasia.
Amores virtuais chegam e nos envolvem em sua aura de magia. Alguns se tornam reais, outros não..são tão voláteis quanto os versos não salvos que evaporam
quando as luzes repentinamente se apagam! E há que se ter um estoque de palavras, de sentimentos, de emoções, para que se recoloquem novos versos, se busquem novos amores, se reconheça que o virtual se alimenta de emoções muitas vezes tão efêmeras, que duram breves instantes. Mas que nesse encantamento, as carências existenciais encontram um porto seguro,
um preenchimento,uma companhia de algumas horas.
Há quem diga que as paixões virtuais não tem corpo, nem tem alma.
Eu diria que elas alimentam tanto o corpo com suas necessidades fisiológicas, quanto à alma em busca de sua outra cara metade, sua outra porção, seu outro similar.
E tantas vezes, quando encontramos alguém que nos parece perfeito, há empecilhos por demais, que fica muito melhor que se afastem ambos, que vivam cada um a sua vida, guardando como recordação, os poucos momentos de um encantamento duplo, quando os universos se desvelaram, se despiram de seus trajes de gala, se despojando das gentis máscaras que muitas vezes são utilizadas, até para poder disfarçar uma tristeza passageira, um sentimento de abandono,
uma rejeição fora de época, uma angústia que aperta o peito.
Mas o que é a vida senão um sinuoso rio que nos transporta entre flores e seixos, a serpentear entre as águas do tempo, cheias de emoção e ilusão acalentada. Assim caminhamos vagarosamente, contemplando a paisagem, e nela deitando nossos desejos, sentindo o calor de um abraço, nem que seja da árvore mais próxima, e o frescor do beijo molhado, quando vemos o alegre beija-flor e beijocar todas as flores. E vamos movimentando corpo e pensamento, refletindo sobre a vida e os encantadores momentos vivenciados.
Saimos da beira do rio, às vezes com um cesto repleto de flores amorosas e alegres; outras vezes com pedrinhas no coração, algumas de tristezas, outras apanhadas nas esquinas da vida, onde os desencontros acontecem. E vamos indo, sopesando o cotidiano em sua extensão...
O rio termina no pé da montanha. Olhamos para o alto! A subida íngreme nos faz sentar um pouco, retomar o fôlego, proteger os pés, tomar uns goles de água, fazer o sinal da cruz..e com ela subir pelas escarpas, sem olhar para trás! Apenas os olhos fitos no cume, subir e subir sozinha? Não! Deus nos segura pela mão, afagando o coração, cicatrizando as feridas da alma. E quando
lá no alto chegarmos, depois da árdua subida, sentiremos que valeu a pena viver tanto,
valeu a pena ter amado tanto, ter sido um grão de areia na imensidão do universo e ainda assim, ter plantado aqui e ali algumas sementinhas de amor. Então, abrimos os braços
como se o céu fosse nos acolher. Fechamos os olhos, e apenas sentimos a brisa a embalar o nosso corpo e o chilreado dos pássaros em nossos ouvidos.E aterrisamos em nuvens de algodão recheada de todos os sonhos reais e fantasiosos, que tivemos ao longo da jornada terrena, pois através deles, sentimos o encantamento e a plenitude da vida, que aparamos as nossas arestas, e sobretudo deixamos como legado à nossa prole, aos nossos tantos amigos e amigas do corãção, o reforçado
ensinamento de Cristo, nosso Mestre:
Ama ao próximo como a ti mesmo!
Santos/SP - 21/04/08

domingo, 27 de abril de 2008

ATEMPORAL

A canção que vem de você...
Guida Linhares

Não te conheço ainda,
siquer sei onde estás agora,
mas sinto que vai chegar a hora,
em que do "nada" tu surgirás...

E quando nossos olhos se encontrarem,
nem serão preciso palavras,
nos reconheceremos como almas gêmeas,
que se buscaram pelos tempos...

Ja te confundi ao longo da vida,
com outros olhos que me fitaram,
mas hoje vejo com clareza e convicção,
que ainda não te conheci...

Sei que existes em algum lugar do planeta,
sei também que a hora há de chegar,
seja daqui, da serra ou do mar,
tu chegarás com um sorriso...

E ouvirei a canção que vem de você..
da melodia que busca incessante
por um amor verdadeiro, sincero e leal,
que em cumplicidade caminhe junto....

E quanto isto acontecer,
nos reconheceremos de imediato,
nem será preciso que nos apresentem,
pois da eternidade somos velhos companheiros.

E no farol da vida em comunhão,
viveremos num paraiso florido perto do mar,
numa morada iluminada pelo amor,
onde juntos colheremos a mais divina flor.
Santos, SP - 10/10/06

Letra de Música


A primera vista
Pedro Aznar

Cuando no tenía nada deseé
Cuando todo era ausencia esperé
Cuando tuve frío temblé
Cuando tuve coraje llamé

Cuando llegó carta la abrí
Cuando escuché a Prince bailé
Cuando el ojo brilló entendí
Cuando me crecieron alas volé

Cuando me llamó allá fui
Cuando me di cuenta estaba ahí
Cuando te encontré me perdí
En cuanto te vi me enamoré


(R) Aznar - A primera vista.wav
Envio da música > guidalinhares@gmail.com

A prece no coração


SALMO XXIII

O Senhor é o meu pastor, nada me faltará.
Deitar-me faz em verdes pastos, guia-me mansamente a águas tranqüilas.
Refrigera a minha alma; guia-me pelas veredas da justiça, por amor do seu nome.
Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam.
Preparas uma mesa perante mim na presença dos meus inimigos, unges a minha cabeça com óleo, o meu cálice transborda.
Certamente que a bondade e a misericórdia do Senhor me seguirão todos os dias da minha vida; e habitarei na casa do Senhor por longos dias.
Se Deus é por mim, nada será contra mim.
Se Deus é por mim, nada será contra mim.
Se Deus é por mim, nada será contra mim.