sábado, 19 de abril de 2008

Rio de Escolhas
Guida Linhares

Nas escolhas da vida tecemos fios,
invisíveis e difíceis de prever,
se foram vencidos os desafios,
ou se ainda ficarão a dever.

Às vezes numa encruzilhada,
depositamos as esperanças,
de cruzarmos a nova estrada,
felizes, tal qual as crianças.

Porém enxergando mais perto,
percebemos a sutil miragem,
que desvela um oásis no deserto
em nosso coração sem maquiagem.

Nele, nossos tantos sonhares,
moram nas horas em desconsolo.
A solidão ronda os calcanhares,
nas águas giradas pelo monjolo,

que da vida nos faz prisioneiros
do Amor em toda a sua grandeza.
Metamorfoseados em ceifeiros,
reagimos com toda a sutileza.

E pelo rio do destino navegamos,
escolhendo um dos barquinhos,
aquele sobre o qual depositamos,
nossos desejos de plenos carinhos.

Santos/SP
25/02/08

Nenhum comentário: