domingo, 1 de junho de 2008

ROMANTISMO



CONJUNÇÃO AMOROSA
Guida Linhares

Nesta busca infinita pela jóia amorosa,
me deixei ficar serenamente às margens do rio,
que corre célere pelas artérias e veias da vida,
seguindo seu curso natural. Às vezes um desvio,
parece que nos afasta da reta, deixando uma ferida.

Contudo quando se alimenta a doce esperança,
a afagar as horas que passamos entre sonhos,
acabamos por encontrar dentro de nós, a criança
que ainda se delicía com os contos de fadas,
que alimentou as fantasias em antigos dias risonhos.

E essa criança já crescida e transformada em jovem
ainda sonha com o príncipe encantado chegando
galopante em seu cavalo branco, garboso e elegante.
Na sublime materialização do sonho, quem há de saber
qual a generosa hora em que o Amor se desvela cativante?

Às vezes é um olhar que atravessa uma avenida congestionada,
outras tantas vezes o bate papo descontraido no barzinho,
ou até mesmo o encontrão na areia, em plena avenida marinha.
Mas quase sempre o acaso faz a hora acontecer de mansinho,
e a pessoa certa chega, com seu jeito de ser, como quem não quer nada

E olhos se encontram, palavras se entrelaçam, corações se buscam
Sonhos se revelam, vidas se desnudam, quimeras saltitam
e alguém que poderia passar desapercebido na multidão,
passa a ter o farol de luzes acesos sobre emoções que despertam,
as mais deliciosas sensações. Aquele querer demasiado,
que chega a doer no peito,quando não satisfeito.

Assim te encontrei, sonho dos meus sonhos, quando
nem mais esperava, já com a âncora afundada no peito.
Selado o cadeado da urna dos desejos, com sete chaves,
que agora corro a buscar e abrir todas as fechaduras,
porque você chegou e preencheu minhas horas de venturas.

Numa vida pautada pelo amor, jamais me entregaria
a quem quer que fosse, se o amor não sinalizasse.
Jamais aviltaria meu ser, aceitando a eventual hora do amor,
com alguém que pouco conhecesse, com um banal "ficar".

Ainda que seja um romance proibido, ainda que seja assim,
quero ao menos uma vez, uma única vez provar do teu mel.
Quero passear em teus territórios e neles deitar a cabeça,
adormecer os desejos, acalentar as mais loucas fantasias,
que a nossa ilusória vontade tecer, mas que será só nossa.

E depois de saciados todos os desejos do corpo e da alma,
poderás partir para a tua realidade, deixando gravados
no meu corpo, com o fogo do amor, as marcas da paixão.
E elas ficarão para sempre, e me lembrarei de você
a cada vez que a saudade apertar e sentir que em algum
momento deste tempo e espaço, de dois nos revelamos um,
em doce conjunção amorosa.

Santos/SP/Brasil
18/04/08
***

Um comentário:

Marta da Silva disse...

Seus escritos são feitos com alma e coração... Faz-me viajar no mundo dos sonhos... Parabéns pelo teu talento que DEUS lhe deu!
Abraços...