domingo, 13 de junho de 2010


P´RA QUE SER POETA?
Guida Linhares

Talvez ser poeta seja a resposta
por tudo o que nos deu vida,
e buscamos no futuro a amostra,
de tudo o que ainda nos dará guarida.

São tantos sonhares do passado,
imortalizados em muitos versos.
O poeta se transforma inspirado
em todos os temas, mesmo adversos.

As dores do amor ele as transfigura,
e faz renascer o principe e a princesa,
felizes no amor enquanto ele dura,
em momentos de sutil ternura e beleza.

Ser poeta é padecer no paraiso,
enquanto vive as penas do inferno.
Por vezes sente-se perdido e sem siso,
dentro do sepulcral silêncio interno.

Mostra ao mundo a face tranquila,
enquanto chora lágrimas em rimas,
pela sua trajetória que por vezes o aniquila,
de emoções perdidas em muitas esgrimas.

Mas o que seria do poeta sem isso,
sem o combustível inflamável dos sentimentos,
que habitam o seu coração? Seria um omisso
se não os transformasse em pensamentos;

e os fizesse atravessar o éter dourado,
e tocar cada coração que nele se espelha.
Mostrando-se ora alegre, ora amargurado,
como a dizer, veja em mim a tua centelha.

E quando sabe que sua lira é ouvida,
o poeta sente a gratidão infinita,
pela musa que o inspira: a vida
soberana senhora da alma em cripta.

Contudo esta mesma vida que o contém,
entretece tramas as mais intrincadas,
e na teia de ilusões seu coração detém,
em desejos e vontades jamais aplacadas.

E a energia que vem deste rompante,
desdobra a frágil alma do poeta
que tresloucado segue adiante,
espalhando a sua poesia inquieta.

Santos/SP/Brasil
04/06/10

Um comentário:

Valrita disse...

Guida... Amo os poetas! Amo as poesias! Amo você, minha musa poetisa...
Você descreveu fielmente o que é ser poeta; é nos enredos de sua vida que o poeta descreve sua sina... "de desejos e vontades jamais aplacadas"!
Parabéns, amiga Guida!