quarta-feira, 28 de maio de 2008

MUNDO REAL X VIRTUAL

PAIXÕES VIRTUAIS

Guida Linhares

Vocês já devem estar se perguntando
porque um tema assim neste papel de carta.
Afinal Branca de Neve não sabia o que era uma Paixão Virtual
e nem os Sete Anões possuíam computador na floresta.

Dos sete anões, Dunga era o único sem barba
e quase nem falava, mas prestava muita atenção.
Certa vez ele viajou no tempo chegando na modernidade,
e se deparou com um tipo de romance diferenciado.

Sabe-se de antemão que ele era muito amoroso
e a todo o momento abraçava Branca de Neve,
sentindo o coração aquecer ao ser retribuído,
no calor do abraço real que todos enfim desejam.

Dunga tinha uma paixão secreta por uma anãzinha,
e não foram poucas as vezes em que fugiu
para ir ao encontro dela e nestes momentos
vibrava de tanta emoção e alegria compartilhada.

Até por conta disso, quando Dunga chegou,
aterrisando numa sala onde viu a telinha pegar fogo
com um cálido encontro amoroso virtual,
ficou espantado observando o equipamento e os usuários.

Viu a senhora de idade, meio vesga, meio gorda.
Vestia um camisolão fechado até o pescoço.
Óculos de lentes grossas que ela tirava,
para beijar aquele espelho de imagens e letras.

Dunga arrepiava só de ver...nunca imaginou
em tempo algum que alguém beijasse um objeto..
Que força e dominação, pensou Dunga...não seria melhor
um beijo de verdade entre a fofinha criatura e alguém mais?

Tão ensimesmado ficou que resolveu entrar na telinha
e lá do outro lado quem ele encontra..um senhor bem idoso,
lá pelos seus quase noventa anos, quase sem visão,
quase caidaço, a beijar a telinha com toda a sofreguidão.

Que susto Dunga tomou mas o melhor estava por vir:
Os diálogos que Dunga considerou de primeira ordem.
O amante assim dizia> - Querida, estou cheio de tesão.
Ela logo respondia> - Eu também meu amado, venhaaa!!!

Dunga engoliu em seco, ficando entristecido afinal
como se daria este encontro. Ele sabia o que era um desejo.
De repente surge um presentinho no formato de arquivo enviado
Dunga, do lado do idoso viu surgirem fartos seios.

Nossa...quanta fartura pensou Dunga. Percebeu que
os olhos do idoso se encheram de lágrimas,
com certeza lembrando-se dos bons tempos,
em que tudo acontecia em tempo real, ao vivo e a cores.

Rapidamente Dunga entrou na tela e foi conferir
a fofa amiguinha recebendo carinhosamente um arquivo.
Era uma foto de um "coroa" saradão, com um sorriso largo
e pernas musculosas, cabelos e bigodes escuros.

Tinha um jeito assim meio malemolente,
de quem faz tudo muito devagar, com jeito especial.
E Dunga pode conferir o deleite da fofinha
em conferir cada centimetro daquele monumento!

Imediatamente a meiga senhora acionou a remessa de arquivo
e foi buscar a imagem de uma jovem de corpo escultural
e busto grande,e cheia de intenções enviou ao jovem saradão.
Toda convencida, ficou a esperar a reação dele diante da visão.

Dunga estava estupefato...como podia isso tudo acontecer?
Cadê a sinceridade, o mostrar-se assim como se é?
E como pode sobreviver uma paixão sem o toque?
Sem o olho no olho, mão com mão, pé com pé?

Não quis ver mais nada...sentiu saudades
do doce abraço da sua querida Branca de Neve.
Só iria sorrir de novo quando chegasse em seu "habitat",
onde lá o calor dos corpos incendeia e a paixão campeia.

<><>

Nada contra as paixões virtuais. Apenas são reflexões sobre o assunto, que penso ser de extrema importância a todos que desejam amar e ser amados, em sua totalidade de expressão.

<><>
Santos/SP/Brasil
06/03/08
<><>

3 comentários:

Essência de amor disse...

Guida, pessoa linda, concordo plenamente com vc qto à virtual, já aconteceu cmg, por isso sei q passa a ser bem real e qdo isso acontece o físico da pessoa, a idade é o q menos interessa pq a nossa alma já foi amarrada pela outra. Ou seja numa paixão virtual primeiro se conhece a alma da pessoa o q é mais importante, pelo menos pra mim.
Eu me sentia tão bem com meu amor virtual!!!

Amiga só consigo chegar aqui através do linck no blog do Zé Carlos, sou burrinha e não sei add os lincks...rsrsr
Bju gde...f@

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá querida Guida, gostei do seu texto e do tema!
Eu pessoalmente, não gosto muito de usar a palavra virtual...
Quando escrevemos determinado comentário, e recebemos de volta a resposta estamos de alguma forma a falar com uma pessoa de carne e osso... Depois temos o nosso instinto, que nos ajuda a escolher as pessoas com quem mais nos edentificamos... Já me aconteceu leio um texto e sinto se gosto dessa pessoa ou não... Eu faço muito uso da minha percepção... Guida, não sei se concorda comigo, para separar o trigo do goío, como dizemos nos Açores... Se puder me responder agradecia... muitos beijinhos de carinho,
Fernandinha

Deusa Odoya disse...

OI adorei o texto.
Mas virtual é uma coisa muitas vezes incerta sem começo algum.
prefiro os pés ao chão e aguentar uma realidade não sofrida.
Beijos da nova amiga.

Regina Coeli.
Fique com deus.
Te aguardo no meu cantinho.